Ciência é um sistema de conhecimento organizado que lida com o mundo físico, suas leis naturais ou com a sociedade. O trabalho científico implica em observações imparciais ou experimentações sistemáticas.

Embora a ciência possa ser considerada tão antiga quanto a humanidade, o termo normalmente não é aplicado antes do desenvolvimento do método científico, a partir do século 17, com as importantes contribuições de René Descartes (1596-1650). Na antiga Grécia os sábios eram chamados de filósofos ou matemáticos.

Arquimedes (c.290-211 aC) faz estudos com desenhos na areia antes de ser assassinado durante a tomada de Siracusa pelos romanos (ilustração de Gustave Courtois). O matemático grego elaborou importantes leis físicas, especialmente os conceitos de alavanca e empuxo. Foi um dos últimos grandes pensadores do mundo antigo.

Nos séculos seguintes, o Ocidente seria dominado pela cultura militar romana. Os sábios, que buscavam respostas para os mistérios do Universo, foram tolerados, especialmente na Alexandria, o maior centro de sabedoria da Antiguidade.

A tolerância acabou com a ascensão do Cristianismo. O Ocidente, buscando a iluminação divina, mergulhou na escuridão do Conhecimento, por mais de mil anos. Os cristãos queimaram os livros dos sábios e destruíram a biblioteca de Alexandria.

Felizmente, boa parte do conhecimento da Antiguidade foi copiada pelos árabes. Séculos depois, os cruzados, buscando “libertar” Jerusalém, entraram em contato com o conhecimento de seus antepassados. Com a tomada de Constantinopla em 1453, pelos turcos otomanos, muitos sábios bizantinos migraram para a Europa.

A partir do século 15, a popularização de livros impressos, a venda do perdão e a Reforma Protestante, abalaram as bases da Igreja Católica.

Estava pavimentado o caminho para o Renascimento.