Exposição sobre o corpo humano, no Espaço Cultural Catavento, em São Paulo.

Exposição sobre o corpo humano, no Espaço Cultural Catavento, em São Paulo.

A Encyclopedia Britannica

A última edição impressa da Encyclopedia Britannica foi a de 2010, com 32 volumes de capa dura, negros e letras douradas. Apenas oito mil conjuntos foram impressos, com um preço de referência de US$ 1.395,00.

A enciclopédia finalmente cedeu à revolução da Internet, depois de 244 anos de publicação impressa. A versão online, entretanto, continua.

As Enciclopédias

Enciclopédia é uma obra que abrange todos os ramos do conhecimento e os apresenta de forma ordenada.

O termo tem origem grega (enkyklios paideia) e pode ser traduzido como “educação que engloba todo o círculo do conhecimento”. Por mais de 2 mil anos formas variadas de enciclopédias têm existido como textos acadêmicos, abrangendo o conhecimento existente da época, às vezes com o nome de dicionários.

Acredita-se que o alemão Paul Scalich foi o primeiro a adotar o termo em uma publicação, quando a sua Encyclopaedia; seu, Orbis disciplinarum, tam sacrarum quam prophanum epistemon… (Enciclopédia; ou Conhecimento do Mundo das Disciplinas, Não Apenas Sagrado mas Profano), foi publicada na Basiléia, em 1559.

No século 18, o francês Denis Diderot publicou sua histórica Encyclopédie e o termo ganhou aceitação geral (veja abaixo).

Esta é a folha de rosto do primeiro volume, da primeira edição da Encyclopédie, ou Dictionnaire Raisonné des Sciences, des Arts et des Métiers, publicada, em 1751, por Denis Diderot e  Jean d’Alembert. São 18 volumes.

Esse trabalho começou como uma tentativa de tradução da Cyclopædia; or, An Universal Dictionary of Arts and Sciences, de Ephraim Chambers, publicada em Londres, em 1728. Sete edições da Cyclopædia foram publicadas até 1752. Chambers recusou um convite, em 1739, para publicar uma versão em francês de sua obra.

André Le Breton, o editor ordinário do rei da França, iniciou uma tentativa de publicar uma tradução francesa da Cyclopædia de Chambers, mas desistiu, em 1745, quando decidiu publicar uma obra própria. Então, convidou Diderot e d’Alembert.