Reviews

Hepatite misteriosa: Brasil investiga casos no RJ e PR, após confirmação na Argentina

Atualização (07/05/2022) – por DJ

Recentemente, começamos a seguir por cá os desdobramentos do aumento de casos de hepatite em crianças ao volta do mundo, com primeiros casos identificados em países da Europa e mais recentemente, na América do Sul com a confirmação por parte da Argentina de seu primeiro caso.

Tratado pela OMS como uma prioridade absoluta, a doença teve também confirmada a investigação de casos em território brasiliano, incluindo uma provável vítima irremissível, o que poderia valer uma das primeiras mortes pela doença, em se confirmando o laudo.

Os casos atualmente monitorados no Brasil estão focados no estado do Paraná (com 3 casos potenciais) e Rio de Janeiro, que conta com 6 casos de hepatite aguda, além do óbito citado supra em investigação.

Atualização (06/05/2022) – por DT

O Ministério Pátrio da Saúde da Argentina confirmou ontem, quinta-feira (5), o registro do primeiro caso de hepatite aguda grave de origem desconhecida em uma párvulo de 8 anos. Autoridades sanitárias estão preocupadas com a proliferação da doença.

De convenção com o governo prateado, o paciente está internado no Hospital das Crianças da cidade de Rosario, na cidade de Santa Fé, mas não informou maiores detalhes sobre o estado de saúde da párvulo e nem as possíveis medidas adotadas.

As causas da hepatite aguda grave infantil ainda são um mistério para a medicina. Cientistas em várias partes do mundo avaliam se a origem pode ser viral, por meio do adenovírus, um grupo de vírus que costuma fomentar problemas respiratórios.

Nos pacientes, a doença pode provocar uma série de problemas de saúde e, em casos mais graves, pode desencadear a premência de um transplante de fígado, além da possibilidade de morte não estar descartada.


“Antes de mais zero, é importante ressaltar que não é uma doença generalidade, mas os pais devem permanecer atentos aos sintomas da hepatite, que são diarreia, vômito, dor abdominal e amarelamento da pele e da segmento branca dos olhos”, alertou a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Quanto ao Brasil, até o momento, o Ministério da Saúde não confirmou nenhum caso da hepatite misteriosa em crianças. Todavia, o quadro médico de alguns pacientes está sendo investigado pelas autoridades sanitárias.

Texto original (04/05/2022)

A Organização Mundial da Saúde (OMS) chamou a atenção para um aumento significativo nos casos de hepatite aguda infantil de origem desconhecida. A entidade destacou que a situação é “muito urgente” e está sendo tratada uma vez que “prioridade absoluta”.

“Estamos fazendo todo o provável para identificar rapidamente o que está causando isso e depois tomar as medidas adequadas, nos níveis vernáculo e internacional”, afirmou o diretor regional de Emergências da OMS, Gerald Rockenschau.

O diretor disse que todos os países membros da OMS foram notificados para ficarem atentos a estes casos misteriosos de hepatite infantil. Os primeiros relatos foram notificados pelo Reino Uno em crianças com menos de 10 anos.

Um pouco que redobra a preocupação da organização é que ainda não se sabe qual a origem da doença, somente que ela não está associada aos casos mais comuns de hepatite A, B, C, D, e E, por exemplo.


Os sintomas incluem dor abdominal, além de diarreia, vômito e pele e/ou olhos amarelados. A OMS apontou ainda que a primeira morte pela hepatite infantil foi relatada no final de abril.

Já a Dependência de Segurança da Saúde do Reino Uno apontou que o adenovírus seja um provável causador para a doença. Ele é um grupo de vírus que costuma fomentar problemas respiratórios, uma vez que um resfriado, bronquite e até mesmo a pneumonia.

Segundo o órgão britânico, murado de 75% dos casos confirmados no país apresentaram teste positivo para o adenovírus. Todavia, ainda não foi provável confirmar o grupo de vírus uma vez que responsável por esse boom de casos.

Source: tudocelular.com

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo